fbpx
Sign up with your email address to be the first to know about new products, VIP offers, blog features & more.

Resenha: As vantagens de ser invisível

Resenha As Vantagens de Ser Invisível
Antes de começar a resenha em si, quero antecipar que esta é a mais difícil que já escrevi na vida. O motivo? Bom, o livro a ser resenhado hoje é muito querido entre a maioria do pessoal que já o leu. Porém, faço parte da minoria que não curtiu, e é justamente por isso que fiquei em dúvida se deveria (ou não) publicar a resenha sobre ele aqui.Eu acabei optando por postar porque ele foi o mais pedido lá no Facebook em uma enquete que fiz. E também tenho direito de não gostar, certo? Então, se você tem uma opinião diferente da minha e quer comentar, faça isso com respeito. Gostos são diferentes e ainda bem que são assim. Cada um tem sua opinião e, da mesma forma que não curti esse livro, você pode não ter curtido algum que eu gostei. E, também, estou trazendo minha opinião sincera. Antes isso do que mentir e dizer que gostei do livro só para seguir o gosto de todos. Sou sincera em tudo que posto no JDB e, desta vez, não vai ser diferente, tá? 😉

Sinopse: livro As Vantagens de Ser Invisível

Sinopse: Ao mesmo tempo engraçado e atordoante, As vantagens de ser invisível reúne as cartas de Charlie, um adolescente de quem pouco se sabe – a não ser pelo que ele conta nessas correspondências -, que vive entre a apatia e o entusiasmo, tateando territórios inexplorados, encurralado entre o desejo de viver a própria vida e ao mesmo tempo fugir dela. As dificuldades do ambiente escolar, muitas vezes ameaçador, as descobertas dos primeiros encontros amorosos, os dramas familiares, as festas alucinantes e a eterna vontade de se sentir “infinito” ao lado dos amigos são temas que enchem de alegria e angústia a cabeça do protagonista em fase de amadurecimento. Íntimas, hilariantes, às vezes devastadoras, as cartas mostram um jovem em confronto com a sua própria história presente e futura, ora como um personagem invisível à espreita por trás das cortinas, ora como o protagonista que tem que assumir seu papel no palco da vida. Um jovem que não se sabe quem é ou onde mora. Mas que poderia ser qualquer um, em qualquer lugar do mundo.

Livro As Vantagens de Ser Invisível
As Vantagens de ser invisível, livro de Stephen Chbosky, despertou meu interesse quando descobri que seria adaptado para o cinema (e que, entre o elenco, estava Emma Watson, uma das minhas atrizes favoritas). Comprei o livro sem conhecer muita coisa sobre a história, apenas o que estava na sinopse (ao contrário de muitos outros que já li sabendo o final e coisas do tipo haha). Como sempre gosto de fazer, queria ler o livro antes de assistir ao filme!

O que achei do livro As Vantagens de Ser Invisível?

Uma das coisas que me chamaram atenção logo de cara foi o formato de escrita da história, que é em cartas. Ninguém conhece o destinatário, apenas quem as escreve: Charlie. Nessas correspondências, o garoto relata suas experiências na escola e em casa, contando suas dificuldades e momentos com seus novos amigos Patrick e Sam.

Charlie é um menino diferente, na dele e bastante inocente. Ele tem um jeito único de ver o mundo e, antes de conhecer Patrick e Sam, era sozinho e sem amigos. Quando passam a andar juntos, os dois começam a ajudar Charlie a se enturmar, participar de festas e ter experiências novas, fora do mundo só seu que o garoto vive.

Uma coisa que gostei muito no livro foi o modo como as cartas são escritas. Isso faz com que eu sinta que elas foram endereçadas a mim, sabem? Além disso, me diverti bastante com Patrick e me identifiquei, em alguns momentos, com Charlie. A história do garoto não é fácil e ele já passou por alguns momentos bem tristes (não vou contá-los aqui para evitar spoiler, ok?).

O livro As Vantagens de Ser Invisível é bom?

As Vantagens de Ser Invisível

Porém, o livro não conseguiu me prender. Sabem aquele livro que a gente começa a leitura mas não sente empolgação para continuar? As vantagens de ser invisível, para mim, foi dessa forma. Achei a história parada e gostaria de conhecer mais o Charlie nas festas e nos momentos com Sam e Patrick.

Talvez muito tenha se perdido justamente por ser em formato de cartas, já que nelas o garoto relata suas experiências com os amigos e família. Muitas dessas correspondências têm um período de tempo longo entre uma carta e outra. Então, o garoto acaba relatando sem muitos detalhes, conta que tal momento aconteceu mas sem se aprofundar. E muitos desses momentos eu fiquei bem curiosa para conhecer como foi, sabem? Acho que foi por isso que o livro não me prendeu tanto, pois gosto de ler os detalhes do momento, os diálogos…

Outra coisa que impede a história de ser mais aprofundada é, acredito eu, o fato de serem cartas endereçadas a um alguém desconhecido (pelo menos para o leitor). Na minha opinião, a história teria sido melhor contada se Charlie narrasse da forma que estamos acostumados, sabem? Eu adoraria que fosse dessa maneira, porque eu realmente gostei da história em si. Só queria ter conhecido melhor o personagem, o que se passava em sua cabeça nos momentos em que estava vivenciando algo novo, o que ele pensava… Coisas que, nas cartas, eu não tive essa oportunidade.

Eu recomendo o livro?

Mas, nem tudo foi ruim, tá? O final me surpreendeu bastante, o que acabou fazendo com que eu passasse a gostar um pouco mais da história. Deve ser porque, lá no finalzinho, a gente entende um pouco os motivos de Charlie ser da forma que é, mais um motivo para querer conhecer o que se passou na cabeça do personagem neste momento (HA, não vou contar qual é!).

Recomendo o livro para quem quer se emocionar e conhecer um personagem diferente, na dele, inocente e que está descobrindo e vivendo novas experiências. Charlie é encantador, único. Eu só queria tê-lo conhecido mais a fundo, algo que o livro não me proporcionou.

Para finalizar, uma vez meu professor da faculdade nos disse uma coisa: quando não gostamos de um livro, é porque ele não foi escrito para nós. Acho que eu não faço parte do público para o qual As vantagens de ser invisível é. Algo ali não foi para mim. Só isso.

Classificação:

E vocês? Já leram esse livro? O que acharam? Comentem aí!

Compartilhe o post

10 comentários
  • Marijleite
    janeiro 11, 2014

    Li esse livro ano passado e também foi uma das resenhas mais difíceis que já fiz, mas por motivos diferentes dos seus.
    Foi um dos livros, senão o livro, que mais me marcou em 2013, encontrei nas palavras de Charlei o que eu não conseguia dizer com minhas próprias palavras. Sabe aqueles livros que te mostram que você não tá sozinho no mundo? Que alguém, em algum lugar, pensa e sente o mesmo que você? "As vantagens de ser invisível" é uma leitura que me marcou.

    petalasdeliberdade.blogspot.com

  • Bruna
    janeiro 6, 2014

    Julie, que bom saber que não fui a única a não gostar… não gostei muito da narrativa e me senti extremamente depressiva lendo esse livro :/ em compensação o filme, já assisti várias vezes e AMO! É a primeira vez que o filme ganhou do livro rsrs

    Beijos!
    http://www.efebre.com.br

  • Yasmin Freitas
    janeiro 1, 2014

    Julie, também faço parte dessa minoria. Tive a mesma sensação que você ao ler, tu conseguiu expressar exatamente o que eu senti enquanto lia. E juro que fico feliz em ver que mais alguém não gostou, porque já estava me sentindo meio anormal (hahaha) por ver todos ao meu redor amando esse livro e eu achando ele tão pouca coisa.

  • Isadora Ferreira
    dezembro 30, 2013

    Oi Julie, eu também faço parte da minoria que não gostou tanto assim do livro. Na verdade, ele tem a menor classificação entre os livros que eu resenhei lá no blog (duas estrelas). Concordo com você em tudo o que foi dito no post, principalmente na parte em que você comenta que o livro não prende o leitor e que é tudo meio parado. Fico até aliviada em saber que não fui a única que não gostou do livro.
    Beijos e parabéns pela sinceridade na resenha!

  • Beatriz Cristina
    dezembro 30, 2013

    Nossa.. Amei *-* acho que vou comprar esse livro pra ter essa experiência e ver se ele é tão bom ou tão ruim mas nossa Julie amei essa ideia de fazer uma resenha pois o melhor dessa resenha foi que você escreveu de algo que você não gostou tanto então é bom ter pontos positivos e negativos em tudo 🙂 Amei *-*

  • Camila
    dezembro 30, 2013

    Oii Julie, também não gostei muito desse livro …
    Gostei das fotos 🙂

  • Ana Paula Bitencourt
    dezembro 30, 2013

    eu estou lendo ele, na verdade já faz um mês que estou tentando passar da metade e não consigo, não que a história seja ruim, mas como disse a Thainá do post aí de cima rsrsrs não tem um quê que te prenda. 🙂

    relicario-da-ana.blogspot.com.br

  • Thainá S.
    dezembro 30, 2013

    O mais legal é que sua resenha, mesmo não tendo gostado do livro, me fez ficar curiosa pra lê-lo, hahaha. E realmente é horrível quando o livro tem tudo pra ser maravilhoso, mas não tem um quê que te prenda. Ou tem um quê que te afasta (meu caso com A culpa é das estrelas). Que bom que resolveu postar ainda assim. :3

  • Gabih Borges
    dezembro 30, 2013

    Eu sempre quis ler esse livro,acabei de terminar A culpa é das estrelas e agora vou comprá-lo.Eu achei muito legal o fato de você ter escrito a resenha mesmo não tendo se identificado com muitos aspectos do livro.Meu professor sempre nos diz, que para se escrever uma boa resenha não importa a opinião que você tenha tido,e sim como você vai saber colocá-la para o leitor.E a sua foi ótima,pois conheci mais sobre a história e vi um outro ponto de quem gostaria de algumas modificações.
    Beijos.
    http://gabi-modaevoce.blogspot.com.br/

  • Iasmin Cruz
    dezembro 30, 2013

    Julie, entendo sua resenha. É tão ruim quando a história é boa, mas não tem aquele detalhe que nos prende. Mas ainda quero muito ler ele, pra tirar minha opinião.

    http://www.iasmincruz.com

Deixe seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado.